Uso de dados em smartphone dobra até 2018

A sueca Ericsson prevê que o tráfego de dados em aparelhos móveis dobrará a cada ano até 2018, levando a novos investimentos em rede - o que ajudaria a tirar as empresas de infraestrutura em telefonia da situação difícil em que se encontram hoje.

ESTOCOLMO, O Estado de S.Paulo

22 de novembro de 2012 | 02h04

Até o fim do ano, haverá mais de 6,6 bilhões de assinantes de telefonia móvel no mundo, pouco menos que a população mundial, de acordo com o relatório semestral da Ericsson. Os smartphones responderiam sozinhos por 2,3 bilhões de acessos - bem mais que o 1,1 bilhão previsto para o fim deste ano.

Ainda que o tráfego esteja aumentado, as operadoras de telefonia continuam com dificuldade para fazer os clientes pagarem muito mais, o que reduz as margens de lucro. Isso prejudica os fornecedores de equipamentos, que são obrigados a apertar suas margens.

A Ericsson teve queda de 17% nas vendas da divisão de redes no terceiro trimestre e planeja demitir 1,5 mil funcionários.

A franco-americana Alcatel-Lucent sofreu prejuízo pelo segundo trimestre seguido, e a chinesa ZTE teve o primeiro prejuízo trimestral desde 2004.

No entanto, analistas dizem que as vendas de smartphones e tablets farão as operadoras investirem em redes 4G, setor no qual a Ericsson prevê rápida expansão. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.