finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Uso de gasolina nos EUA no verão cai pela 1a vez em 17 anos

Os preços recordes da gasolina e aretração na economia norte-americana reduzirão a demanda porgasolina durante o verão nos EUA pela primeira vez em 17 anos,informou a Administração de Informação de Energia (EIA, nasigla em inglês), na terça-feira. Os preços da gasolina nos EUA atingirão o pico mensal demais de 3,60 dólares o galão em junho, o que ajudaria a reduzira demanda automotiva em 0,4 por cento durante o período --quecoincide com a alta temporada de viagens de carro no país--, emcomparação à temporada anterior, segundo a EIA. O órgão estimou que a demanda por gasolina durante o verãonorte-americano será 36 mil barris por dia menor, somando 9.404milhões de barris por dia --o que representa a primeira quedano consumo desde 1991. Os consumidores pagarão em média 3,54 dólares o galãodurante o período, que vai de abril até setembro, 61 centavosde dólar acima do valor pago no ano passado, de acordo com aEIA. No entanto, a entidade alertou que os preços da gasolina emalgumas partes dos EUA "superarão a barreira dos 4 dólares ogalão." "Estas projeções para os preços no varejo refletem oscustos médios mais elevados das refinarias com a aquisição depetróleo bruto, cuja média projetada deve atingiraproximadamente 97 dólares o barril, ante 67 dólares o barrilno verão passado", acrescentou. Apenas em maio e junho, o preço médio do petróleo nos EUAdeve chegar a 103 dólares o barril, segundo a EIA. O preço dacommodity corresponde a 70 por cento do custo de produção dagasolina. Os caminhoneiros serão os mais afetados, com o preço dodiesel atingindo em média 3,73 dólares o galão neste verão,recebendo um incremento de 88 centavos de dólar sobre os preçosdo ano passado. A EIA espera que os preços mensais do dieselatinjam o pico de 3,90 dólares o galão em abril. Os preços elevados da gasolina reduzem a quantidade dedinheiro disponível dos consumidores para a compra de outrosbens e serviços, prejudicando a economia dos EUA. A EIA prevê um declínio na economia norte-americana noprimeiro semestre deste ano, seguido por uma melhora na segundametade de 2008, acumulando um crescimento anual de 1,2 porcento, menor taxa desde 2001. A agência notou que a distribuição de cheques do governo apartir de maio, com o objetivo de estimular a economia "devemampliar a renda disponível, mas não devem ter um impactosignificativo dobre o consumo de gasolina por automóveis." Os preços da gasolina atingirão preços recordes mesmo comoferta abundante do combustível. (Por Tom Doggett)

TOM DOGGETT, REUTERS

08 de abril de 2008 | 12h02

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSGASOLINAEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.