USP: renda fixa mantém tendência de recuperação

Os fundos de renda fixa registram rendimento crescente desde maio, o que demonstra uma recuperação ao impacto inicial das novas normas impostas pelo governo ao setor, segundo análise do Laboratório de Finanças da Universidade de São Paulo (Labfin-USP). A rentabilidade média dos fundos de renda fixa, de acordo com o Labfin, passou de 0,44%, em maio, para 0,83% em junho, 1,10% em julho e 1,21% em agosto.A análise lembra que a Instrução nº 365 da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), de 29 de maio passado, havia antecipado o cálculo de marcação a mercado dos fundos de investimento de setembro para maio, o que provocou queda na rentabilidade em maio.A CVM editou, porém, a Instrução nº 375, em 14 de agosto, permitindo uma maior flexibilidade na marcação dos papéis. "Ao mesmo tempo, o governo recomprou títulos de longo prazo e colocou papéis de mais curto prazo permitindo menor variação nas quotas."O Labfin-USP observou ainda que o acordo do Brasil com o Fundo Monetário Internacional (FMI) tranqüilizou o mercado e provocou queda de 1,33% na rentabilidade média dos fundos cambiais em agosto. Os fundos de ações, que registravam quedas sucessivas nos últimos meses, fecharam o mês de agosto com rentabilidade positiva de 5,75%. Os fundos carteira livre apuraram rentabilidade média de 1,87% em agosto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.