finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Vacas poluem mais que carros, diz presidente da Mercedes

Executivo da montadora no Brasil, Philipp Scheimer disse que se mundo fosse vegetariano não haveria tanta poluição

Carla Araújo, da Agência Estado,

19 de novembro de 2013 | 17h24

SÃO PAULO - O presidente da Mercedes-Benz, Philipp Scheimer, afirmou nesta terça-feira, 19, que, o automóvel tem sua parcela de participação no aquecimento global, mas não é o 'grande vilão' que dizem. Para ele, "Vacas são responsáveis por 18% do aquecimento global, enquanto que o setor de transporte responde por 13,5%", disse ele, referindo-se aos gases emitidos por elas.

A declaração foi dada no Forum Sustentabilidade, promovido pela revista Exame, em São Paulo.

Em tom de brincadeira, Scheimer afirmou que se o mundo fosse vegetariano não haveria tanta poluição. "É preciso relativizar os fatos, mas estamos conscientes que temos que agir", afirmou.

De acordo com o presidente da Mercedes, a empresa tem estudado e colocado em prática uma série de soluções para contribuírem com o futuro do planeta. "Hoje não pensamos só no produto em si, pensamos em soluções de transporte individual e coletivo, pensamos em soluções de mobilidade."

Sem citar nominalmente o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, Scheimer fez críticas à implantação da faixa de ônibus, uma das mais recentes ações do prefeito para tentar solucionar o trânsito na cidade. "Defendemos sempre o metrô como a melhor solução, mas o BRT (Bus Rapid Transport) é uma alternativa eficiente. E não é necessário pintar uma faixa exclusiva nas ruas para que ele funcione", afirmou, em referência ao modelo de transporte coletivo, que já está em operação no País em Belo Horizonte.

Haddad também participará do Forum nesta tarde com a palestra 'A mobilidade urbana em uma das maiores metrópoles do mundo'.

Tudo o que sabemos sobre:
mercedespoluição

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.