'Vai na direção correta', diz Mantega sobre decisão chinesa

Um dia depois de o governo brasileiro tomar medidas mais duras para conter a valorização do real ante o dólar, a decisão da China de elevar a taxa de juros pela primeira vez desde 2007 deve ajudar a economia do Brasil. A avaliação foi feita ontem pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, que elogiou a ação do governo chinês. Para o ministro, os chineses estão "colaborando".

Adriana Fernandes / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

20 de outubro de 2010 | 00h00

"Ajuda sim. Pode valorizar um pouco a moeda deles. É bom. Vai na direção correta", afirmou o ministro, que ontem passou o dia acompanhando os desdobramentos no mercado financeiro das novas medidas cambiais. Mantega cancelou a viagem que faria ontem à Coreia do Sul para a reunião preparatória do encontro de presidentes dos países do G-20 (grupo das maiores economias do mundo), que será realizado em novembro em Seul.

Mantega decidiu ficar no Brasil para acompanhar de perto o impacto das medidas. Segundo assessores, não estão descartadas novas medidas, se os recentes aumentos do IOF não surtirem o efeito necessário. O ministro tem na mesa uma lista de medidas que já vêm sendo estudadas pela área técnica e poderão se acionadas rapidamente. A orientação, por enquanto, é aguardar os movimentos do mercado para verificar se haverá uma acomodação da especulação com a taxa de câmbio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.