VALE afasta Merril como conselheiro sobre Xstrata, diz jornal

A empresa Vale, segundomaior grupo minerador do mundo, demitiu o Merrill Lynch & CoInc da função de um dos dois conselheiros principais napotencial negociação da Xstrata, um negócio avaliado em 90bilhões de dólares, após o Merrill ter decidido não ajudar afinanciar a transação, afirmou na segunda-feira o jornal TheFinancial Times. O banco de investimentos ouviu da Vale que perderia o postode consultor no negócio se não se comprometesse comfinanciá-lo, disse o jornal, que ouviu pessoas próximas aocaso. Segundo o FT, o Merrill Lynch chegou à conclusão de que ostermos do financiamento não eram economicamente viáveis nempara o banco e nem para os acionistas da Vale. A empresa brasileira anunciou no mês passado estar emnegociação com a mineradora Xstrata, com sede na Suíça, e comvários bancos a respeito de um financiamento. No entanto, muitas instituições de crédito estão envolvidascom o processo de tomada da Rio Tinto pela BHP Billiton's e nãopossuem a capacidade de envolver-se em dois negócios de talporte ao mesmo tempo, disse o jornal. Até agora, a Vale teria conseguido financiamento do HSBC,do Lehman Brothers, do Banco Santander, do Calyon, do RoyalBank of Scotland e do BNP Paribas, segundo o jornal. A empresa brasileira ainda tem que fazer à Xstrata umaoferta formal. A reportagem do FT disse que o Merril Linch nãoquis fazer comentários sobre o caso e que representantes daVale não puderam ser encontrados. (Reportagem de Valerie Lee) CIDADE DE CINGAPURA, 4 de fevereiro (Reuters) - A empresaVale , segundo maior grupo minerador do mundo,demitiu o Merrill Lynch & Co Inc da função de um dosdois conselheiros principais na potencial negociação da Xstrata, um negócio avaliado em 90 bilhões de dólares, após oMerrill ter decidido não ajudar a financiar a transação,afirmou na segunda-feira o jornal The Financial Times. O banco de investimentos ouviu da Vale que perderia o postode consultor no negócio se não se comprometesse comfinanciá-lo, disse o jornal, que ouviu pessoas próximas aocaso. Segundo o FT, o Merrill Lynch chegou à conclusão de que ostermos do financiamento não eram economicamente viáveis nempara o banco e nem para os acionistas da Vale. A empresa brasileira anunciou no mês passado estar emnegociação com a mineradora Xstrata, com sede na Suíça, e comvários bancos a respeito de um financiamento. No entanto, muitas instituições de crédito estão envolvidascom o processo de tomada da Rio Tinto pela BHPBilliton's e não possuem a capacidade de envolver-seem dois negócios de tal porte ao mesmo tempo, disse o jornal. Até agora, a Vale teria conseguido financiamento do HSBC, do Lehman Brothers , do Banco Santander, do Calyon, do Royal Bank of Scotland e do BNPParibas , segundo o jornal. A empresa brasileira ainda tem que fazer à Xstrata umaoferta formal. A reportagem do FT disse que o Merril Linch nãoquis fazer comentários sobre o caso e que representantes daVale não puderam ser encontrados. (Reportagem de Valerie Lee)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.