carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Vale bate recorde de lucro em 2007

A companhia lucrou R$ 20,006 bi, resultado 48,95% superior aos R$ 13,431 bi apurados no ano anterior

Mônica Ciarelli, da Agência Estado,

28 de fevereiro de 2008 | 19h18

A mineradora Vale fechou 2007 com recorde de lucro, receita bruta e geração de caixa. A companhia lucrou R$ 20,006 bilhões, resultado 48,95% superior aos R$ 13,431 bilhões apurados no ano anterior. É o quinto ano consecutivo em que a empresa bate recorde de lucro.  A receita bruta atingiu R$ 66,385 bilhões, o que corresponde a um aumento de 42% frente a 2006. A geração de caixa medida pelo Ebitda cresceu 47,71%, para R$ 33,619 bilhões. Em seu balanço, a companhia explica que o bom desempenho se deve ao aumento de 45,9% do lucro operacional, motivado pela consolidação da canadense Inco, comprada no final do ano de 2006. O lucro operacional é o resultado apenas da atividade primária da empresa. Ou seja, o cálculo envolve apenas as atividades relacionadas à produção/fabricação. Assim, neste cálculo, não entram as despesas de juros sobre financiamentos, resultados extraordinários, pagamento de imposto de renda etc. A contribuição da Vale Inco no resultado foi de R$ 11,723 bilhões. O lucro operacional foi influenciado pelo incremento de R$ 19,472 bilhões na receita líquida, o que compensou o aumento dos custos operacionais e das despesas com vendas e administrativas. A empresa informou ainda que nos últimos cinco anos investiu US$ 40,7 bilhões, sendo US$ 20,6 bilhões em aquisições e US$ 20,1 bilhões em manutenção das operações, pesquisa e desenvolvimento (P&D) e execução de projetos. Neste período, a Vale concluiu 20 grandes projetos em diversos segmentos da indústria de Mineração e realizou aquisições que trouxeram ganhos de produtividade - a média anual da expansão da produção total agregada foi de 11,6% entre 2003 e 2007. Só em 2007, a empresa investiu US$ 7,625 bilhões, valor 58% superior ao destinado no ano anterior. Do total, que foi recorde, a Vale destinou US$ 5,423 bilhões a projetos de crescimento orgânico e US$ 2,202 bilhões na sustentação das operações existentes. No período, foram concluídos dois os projetos da mina de bauxita de Paragominas, que terá capacidade inicial de produção de 5,4 milhões de toneladas, e da usina hidrelétrica de Capim Branco II, em Minas Gerais, com potencial de geração de 210 MW. Diversificação Já a diversificação de produtos fez com que a Vale passasse a vender cobre, níquel, carvão metalúrgico e térmico, metais do grupo da platina e cobalto. Em 2007, a empresa alcançou recordes na produção de nove produtos: minério de ferro, pelotas, níquel refinado, cobre, bauxita, alumina, alumínio, caulim e cobalto. Com o resultado do ano passado, a Vale reafirmou sua posição de maior produtora mundial de minério de ferro, segunda maior de níquel, e uma das maiores em caulim, cobalto, ferro ligas e Alumina.  

Tudo o que sabemos sobre:
Vale

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.