Vale: câmbio e queda do preço do níquel afetaram lucro

A queda nos preços do níquel e do alumínio e a desvalorização cambial foram os principais responsáveis pela retração de 55,8% no lucro líquido da Vale no primeiro trimestre do ano frente ao mesmo período de 2007. Em seu balanço financeiro, a companhia explica que a valorização do real frente ao dólar gerou uma perda de R$ 622 milhões no período. A variação cambial contribuiu para que o resultado financeiro ficasse negativo em R$ 2,056 bilhões, contra um resultado negativo de apenas R$ 208 milhões apurado no mesmo período do ano passado.A empresa informou ainda que a forte volatilidade nos preços dos metais nos primeiros três meses de 2008 resultou em perdas nas operações com derivativos destinadas à proteção do fluxo de caixa, sendo R$ 223 milhões para o alumínio, R$ 202 milhões para o cobre, R$ 61 milhões para o níquel e R$ 27 milhões para a platina.Já as participações minoritárias da companhia contribuíram no primeiro trimestre para diminuir o lucro em R$ 36 milhões, enquanto as contribuições recebidas pelas joint ventures (parcerias) para produção de carvão na China contribuíram com R$ 37 milhões. DólarA Vale informou que a valorização do real frente ao dólar no primeiro trimestre contribuiu para reduzir em R$ 1,840 bilhão o faturamento da mineradora no primeiro trimestre. A receita bruta da companhia totalizou R$ 14,549 bilhões, uma queda de 12,5% em relação aos primeiros três meses do ano passado. Já a variação nos preços dos metais gerou um impacto negativo de R$ 793 milhões. O maior volume de produtos vendidos, no entanto, compensou em parte as perdas. O crescimento das vendas contribuiu para aumentar a receita em R$ 553 milhões no período.PaísesA China permaneceu como o principal destino das vendas da mineradora, com participação na receita de 16,7%, seguida do Brasil, com 16,2%, Japão, 10,5%, Estados Unidos, 10,5%, Alemanha, 6,5%, e Canadá, 5%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.