Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Vale compra ferrovias no leste da África

A Vale anunciou ontem a compra de 51% da Sociedade de Desenvolvimento do Corredor do Norte SA (SDCN), que controla dois sistemas ferroviários na costa leste da África. O negócio foi fechado com o grupo moçambicano Insitec. A operação, cujo valor não foi informado, tem como objetivo garantir a logística para o escoamento da segunda fase do projeto de produção de carvão de Moatize, que inicia as operações em 2011.

Nicola Pamplona / RIO, O Estado de S.Paulo

22 de setembro de 2010 | 00h00

Em nota, a Vale informou que a SDCN tem participação, por meio de duas controladas, em dois sistemas ferroviários com extensão total de 1,6 mil km de distância em Moçambique e no Malaui. Os dois sistemas, diz a empresa, são interligados em um ponto próximo à província mineral de Moatize, onde a Vale tem reservas de carvão estimadas em 1,08 bilhão de toneladas.

A compra dos sistemas ferroviários faz parte de uma estratégia da mineradora para garantir controle sobre a logística envolvida no escoamento de sua produção. Mesma estratégia está sendo adotada na Argentina e na Libéria, onde a companhia obteve concessão para explorar estradas de ferro próximas a minas de sua propriedade.

"Ao mesmo tempo em que torna viável a expansão da capacidade de Moatize, a infraestrutura de logística (da SDCN) se constitui em excelente alternativa para o transporte para a costa Leste da África da produção do cinturão de cobre da Zâmbia, onde estamos começando a desenvolver Konkola North, de nosso projeto de rocha fosfática de Evate, em Moçambique, além de outras cargas do eixo Zâmbia-Malaui-Moçambique", disse a companhia.

Um dos trechos adquiridos, o corredor logístico de Nacala, receberá investimentos para sua expansão, com a construção de novas interligações e de um porto de águas profundas em Nacala. A primeira fase da produção de Moatize será escoada pela ferrovia Linha do Sena para ser embarcada no Porto da Beira, na região central de Moçambique.

Exploração

1,08 bi

de toneladas é quantidade estimada das reservas de carvão que a Vale possui

na província de Moatize

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.