Vale confirma estudo de projetos de hidrelétrica na Colômbia

A Companhia Vale do Rio Doce divulgou nesta quinta-feira, 31, comunicado ao mercado que responde a comentários registrados pela imprensa sobre investimentos na Colômbia. Segundo a mineradora brasileira, as opções comentadas não foram apreciadas por sua diretoria executiva e, conseqüentemente, nenhuma decisão foi tomada a respeito.   "De acordo com seu planejamento estratégico, a Vale tem buscado desenvolver o potencial de exploração de suas vastas reservas de bauxita de altíssima qualidade. Para que isso seja possível, é fundamental a disponibilidade de energia a preços competitivos, o que, na prática, definirá a localização de uma eventual nova planta para a produção de alumínio primário, permitindo assim, intensificar a exploração dos recursos existentes, considerando inclusive as boas perspectivas do mercado desse metal", diz a nota.   Nesse sentido, a Vale tem estudado, com o apoio do governo colombiano, alguns projetos de geração de energia hidrelétrica nesse país. Contudo, até o momento não houve definição técnica a respeito de qualquer projeto específico.   "A Colômbia, como grande produtora mundial de carvão, indicou seu interesse em atrair investimentos nessa área, de forma a potencializar o uso de matéria prima abundante e de alta qualidade naquele País. O carvão faz parte do foco estratégico da Vale, que se tornou produtora com a aquisição de operações na Austrália, programa a construção do projeto de Moatize, em Moçambique, e realiza estudos sobre a viabilidade do projeto Belvedere, na Austrália. Além disso, a Companhia está construindo uma usina de geração de energia elétrica, movida a carvão térmico, em Barcarena, no Estado do Pará", afirma o texto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.