Vale do Rio Doce acumula recordes no trimestre

A Companhia Vale do Rio Doce acumulou recordes no terceiro trimestre do ano. O lucro de R$ 2,296 bilhões foi o melhor resultado trimestral de sua história e representa um aumento de 79,5% frente ao obtido no mesmo período do ano passado. No acumulado entre janeiro e setembro, a mineradora já registra um resultado positivo de R$ 4,933 bilhões. A empresa atribuiu o bom desempenho ao aumento da receita com a exportação de minério de ferro. As vendas externas atingiram o patamar histórico de 48,8 milhões de toneladas, acima do recorde anterior de 45,8 milhões contabilizado no segundo trimestre do ano. Com essas exportações, a Vale obteve uma receita de US$ 3,929 bilhões, volume 43% superior ao mesmo período do ano passado. No ano, a companhia já responde sozinha por 13,1 % do saldo da balança comercial brasileira. As exportações foram responsáveis por 75,5% dos embarques de minério de ferro e pelotas no terceiro trimestre. A China continua impulsionando o setor, absorvendo sozinha 21,7% das exportações de minério de ferro (8 milhões de toneladas). Das 12 milhões de toneladas vendidas para o mercado interno, 4,9 milhões foram destinadas às coligadas de pelotização de Tubarão, cuja produção é quase que integralmente direcionada ao mercado externo. O balanço revela ainda que o lucro da mineradora foi engordado no terceiro trimestre pelo efeito positivo da venda em junho da fatia de 20% que a empresa detinha na Companhia Siderúrgica de Tubarão (CST). O negócio gerou um ganho de R$ 463 milhões para os cofres da empresa. Até maio de 2005, a Vale venderá os outros 7,91% que possui na CST. Produção - A Vale informou que bateu recorde também na produção de minério de ferro, pelotas, bauxita e manganês no terceiro trimestre. Em relatório divulgado nesta quarta, a mineradora revela que atingiu a marca histórica de 56,932 mlihões de toneladas, um acréscimo de 16,2% frente ao mesmo período do ano passado e de 10,% sobre o recorde anterior de 51,515 milhões de toneladas, conquistado no segundo trimestre. No acumulado de janeiro a setembro, a produção já alcançou 154,965 milhões de toneladas, 11,1% a mais que em igual período de 2003.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.