Vale do Rio Doce é a maior companhia privada da América Latina

O diretor-executivo de Finanças da Companhia Vale do Rio Doce, Fábio Barbosa, informou que a empresa se posicionou no final de fevereiro como a maior companhia privada da América Latina. Em três anos, a Vale passou da posição de sétima para terceira maior companhia de mineração do mundo, atrás apenas da BHP Billiton, e da Rio Tinto. O valor de mercado da empresa saltou de US$ 9 bilhões em 31 de dezembro de 2001 para US$ 39,9 bilhões no dia 24 de fevereiro deste ano. Hoje, a Vale se situa com a maior empresa do setor nas Américas. Segundo Barbosa, o resultado reflete a estratégia de investimentos da companhia. Entre 2001 e 2004, foram investidos R$ 18,3 bilhões. Para 2005, a previsão é de investimentos no valor de R$ 10,8 bilhões, o que corresponderá a aproximadamente 3% da formação bruta de capital fixo do Brasil. Para mostrar a dimensão do crescimento da empresa nos últimos anos, Barbosa ressaltou que em 2002, quando a Vale fez uma emissão pública de ações, o valor do papel correspondia a US$ 24,50. Hoje, essa mesma ação está cotada a US$ 105.Empresa para investimentoA Companhia Vale do Rio Doce espera conseguir ainda esse ano o nível de investment-grade pelas agências internacionais de classificação de risco, segundo Barbosa. Ao falar sobre o desempenho da empresa, o diretor ressaltou que Vale é a única das grandes empresas do setor que não tem esse grau de investimento. Um dos fatores que levam a esse situação, disse ele, é o "ambiente regulatório" do País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.