Vale: negociação com Xstrata teve avanços e recuos

As negociações da Vale para comprar a mineradora anglo-suíça Xstrata tiveram avanços e recuos nas últimas semanas, segundo o presidente da Vale, Roger Agnelli. "Estamos na mesma distância que sempre estivemos de um acordo." Ele se negou a detalhar os avanços, alegando que se trata de uma negociação privada.O executivo reiterou que a compra não é prioridade da companhia, que está mais focada em colocar em prática investimentos de US$ 59 bilhões até 2012, dos quais 80% serão realizados no Brasil. "Temos tratado do assunto com muita tranqüilidade", disse hoje em entrevista coletiva à imprensa. De acordo com ele, a Xstrata não é a única oportunidade de compra da Vale, embora ainda não existam outras negociações em curso.Segundo Agnelli, a conversa entre as empresas é difícil porque envolve filosofias diferentes de negócio. A Glencore, maior acionista da Xstrata, pretende obter direitos de comercialização sobre a produção da Vale, o que já ocorre na mineradora anglo-suíça. Ele destacou que a Vale não está disposta a ceder os direitos de comercialização dos seus produtos, mas que poderia fazer pequenas concessões. "Os presidentes da Xstrata e da Glencore são brilhantes e não gostam de ceder. Eu não sou tão brilhante, mas também não gosto de ceder", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.