Vale passa América Móvil e é 2ª maior em receita da AL

1ª posição é da Petrobras, com 17,78% das vendas das 50 maiores empresas de capital aberto da região

TATIANA FREITAS, Agencia Estado

15 de abril de 2008 | 13h28

Com uma receita operacional líquida de US$ 96,30 bilhões, a Petrobras respondeu por 17,78% das vendas das 50 maiores empresas de capital aberto da América Latina em 2007, ocupando a primeira posição em ranking elaborado pela Economática. A Vale, com uma receita líquida de US$ 36,56 bilhões, ultrapassou a mexicana América Móvil e ficou com a segunda posição. Juntas, a estatal de petróleo e a mineradora responderam por 24,5% da receita das 50 maiores empresas latino-americanas no ano passado. A participação dessas duas brasileiras aumentou em relação a 2006, quando elas foram responsáveis por 22,7% do total das vendas. A receita líquida da Vale aumentou 72,62% no ano passado, enquanto a da Petrobras avançou 30,12%.   Veja também:   Pão de Açúcar: País pode ter o terceiro maior campo de petróleo do mundo A história e os números da Petrobras  A maior jazida de petróleo do País  A exploração de petróleo no Brasil  'Brasil pode se unir à Opep', diz jornal americanoDe acordo com a Economática, a receita das 50 maiores empresas da América Latina cresceu 29% no ano passado. As 50 companhias analisadas, selecionadas pelo tamanho da receita, apresentaram vendas de US$ 541,6 bilhões em 2007, ante US$ 419,8 bilhões do ano anterior. A terceira posição no ranking foi ocupada pela mexicana América Móvil, com uma receita de US$ 28,54 bilhões, seguida pela mineradora Cemex (US$ 21,68 bilhões) e pela varejista Wal Mart México (US$ 20,61 bi). A Gerdau aparece na sexta posição, com vendas de US$ 17,28 bilhões.Refletindo a posição de Petrobras, o setor de Petróleo e Gás é o mais representativo entre as maiores empresas da América Latina. As cinco empresas do setor presentes na lista representaram 24,3% (US$ 131,5 bilhões) do total das receitas de 2007. Para se ter uma idéia da importância da Petrobras para essa posição, sem a companhia brasileira, que representa 73,2% do setor, Petróleo e Gás passaria da primeira para a sétima colocação na análise setorial, possibilitando o avanço de telecomunicações para a liderança. No ano passado, telecom respondeu por 16,2% (US$ 87,8 bilhões) do total das receitas.Entre os países, o Brasil tem a maior participação no ranking, com 23 empresas que obtiveram uma receita de US$ 299,5 bilhões em 2007, o equivalente a 55,3% do total. No ano passado, o País contou com a inclusão de quatro empresas no ranking: Friboi, Sadia, TAM e Ultrapar. O saldo é de duas empresas a mais em relação a 2006, pois saíram Ipiranga Distribuidora e Arcelor Brasil. A participação do México (segundo colocado) no total é de 30%, a do Chile (3º) é de 7,9% e a da Argentina (4º), de 4,3%.O ranking da Economática também mostra manutenção da concentração de metade da receita das 50 empresas presentes na lista nas mãos de dez companhias. No ano passado, as dez primeiras responderam por 50,1% do total das receitas das 50 maiores, mesmo porcentual de 2006.Além das empresas mencionadas anteriormente, as brasileiras que fazem parte da lista da Economática são: Eletrobras, Ultrapar, Ambev, Braskem, Telemar, Pão de Açúcar, Telesp, Usiminas, Vivo, TIM Participações, CSN, Brasil Telecom, Cemig, Embraer, CPFL Energia, Embratel Participações e Eletropaulo.

Tudo o que sabemos sobre:
PetrobrasVale

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.