Vale pesa e Bovespa encerra com perda de 0,12%

Ibovespa acumula  ganho de 5,05% no mês e queda de 20,69% no ano

Claudia Violante, da Agência Estado,

19 de outubro de 2011 | 18h30

Se ontem a Vale surfou na onda de otimismo que varreu a Bovespa na reta final do pregão e conseguiu fechar em alta, hoje a história não foi bem assim. Os investidores puniram o papel com o noticiário dos últimos dias e as ações registraram perdas de mais de 2%. O Ibovespa, no entanto, até que conseguiu operar em alta em vários momentos da sessão, acompanhando o mercado externo, mas como Petrobras e siderúrgicas também estavam no vermelho, acabou recuando no fechamento.

O Ibovespa terminou o dia com queda de 0,12%, aos 54.966,13 pontos. Na mínima, registrou 54.483 pontos (-1%) e, na máxima, os 55.244 pontos (+0,39%). No mês, acumula ganho de 5,05% e, no ano, queda de 20,69%.

Os investidores precificaram hoje nos papéis da Vale as notícias de que a China exibiu desaceleração na sua economia, de que as siderúrgicas daquele país estão pedindo descontos nos contratos e também que a mineradora estaria alterando a precificação de trimestral para cotação à vista. O preço em queda do minério de ferro também pressiona. Assim, Vale ON caiu 3,37% e PNA, 2,86%.

Petrobras ON encerrou em queda de 0,80% e a PN, de 1,13%, influenciadas pela retração do preço do petróleo na Nymex - perda de 2,52%, a US$ 86,11 o barril - e por um movimento de realização de lucros que atingiu também siderúrgicas. Gerdau PN recuou 1,87%, Metalúrgica Gerdau PN, -1,46%, Usiminas PNA, -2,56%, e CSN ON, -3,04%.

No exterior, os mercados europeus subiram em reação às notícias sobre aumento da Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, na sigla em inglês) para 2 trilhões de euros, o que já havia impulsionado Wall Street e Bovespa no fim do dia de ontem. Mesmo desmentida, a notícia puxou as ações da região para cima.

Nos EUA, entretanto, os dados positivos foram insuficientes para garantir ganhos aos índices de ações. Dow Jones fechou com perda de 0,63%, aos 11.504,62 pontos, S&P recuou 1,26%, aos 1.209,88 pontos, e Nasdaq perdeu 2,01%, aos 2.604,04 pontos.

O Departamento de Comércio norte-americano divulgou que as obras de moradias iniciadas cresceram 15% em setembro, para 658 mil, o maior nível em um ano e meio, superando as expectativas de alta para 595 mil. O índice de preços ao consumidor (CPI) avançou 0,3% no mês passado, em base sazonalmente ajustada, dentro do esperado, enquanto o núcleo do índice subiu 0,1%, abaixo da estimativa de alta de 0,2%.

Tudo o que sabemos sobre:
BovespaValePetrobras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.