Vale quer elevar produção em Carajás

A Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) pretende elevar em mais de 16% a produção da mina de Carajás, no Pará, este ano. A meta é atingir uma produção de 70 milhões de minério de ferro e pelotas, com investimentos marginais em novos equipamento e logística. O diretor executivo de ferrosos da mineradora, Armando Santos, revelou que um dos principais projetos é a entrada em operação do terceiro carregador de navios, em fevereiro, no Porto da Madeira 2004. "Hoje existe um gargalo na produção por conta desse porto", explicou o diretor. Ele lembra que a demanda por minério continua muito forte e que a Vale trabalha agora para elevar sua capacidade de produção, que está no limite. "Já compramos todos os vagões do Brasil e estamos pensando em importar mais", disse. O executivo explicou que a expectativa é elevar a produção total em 15 milhões de toneladas, sendo 10 milhões do sistema Norte e o restante do Sul. Segundo ele, o sistema Sul só terá capacidade para aumentar sua produção com a entrada em operação da "Fábrica Nova", em 2005, e de "Brocutu", em 2006. Esse aumento de demanda vem sendo impulsionado pela China, que este ano ultrapassa o Japão em compra de minério pela primeira vez na história da companhia. Serão exportados para as siderúrgicas chinesas cerca de 21 milhões de toneladas de minério e pelotas, contra os 17,5 milhões do ano passado. "Se tivéssemos como produzir 30 milhões eles comprariam tudo", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.