Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Vale resgata 35 trabalhadores presos em mina no Canadá

Segundo a mineradora, os outros quatro funcionários devem ser retirados ainda nesta terça-feira; as 39 pessoas que ficaram presas no subsolo de uma mina na cidade de Sudbury no domingo não tiveram ferimentos, informou a empresa

Bruno Villas Bôas, O Estado de S.Paulo

28 de setembro de 2021 | 09h05
Atualizado 28 de setembro de 2021 | 18h38

RIO - A mineradora Vale informou que 35 dos 39 trabalhadores que estavam presos em uma mina subterrânea em Sudbury, no Canadá, voltaram à superfície na manhã desta terça-feira, 28. Os quatro empregados restantes continuam subindo com supervisão de equipes de resgate, segundo a empresa.  

Até o momento, todos os funcionários saíram da mina por meio de um sistema de escada de saída secundária, devido a danos no eixo que tornaram a saída primária inoperante.

No domingo, 26, 39 funcionários ficaram presos de 900 a 1.200 metros de profundidade na mina Totten, em Sudbury, Ontário, após uma pá escavadeira ter se desprendido, bloqueando um acesso e indisponibilizando o meio de transporte dos empregados (um elevador).

Segundo a Vale, os empregados estavam na mina no momento do incidente e imediatamente dirigiram-se às estações de refúgio como parte do procedimento padrão. “Não há relato de ferimentos e eles têm tido acesso a água e comida”, informou a mineradora.

Os funcionários estão sendo retirados, desde domingo à noite, por uma equipe de resgate por meio de escada secundária que já existia dentro da mina. “Resgatar os empregados de forma segura e rápida é nossa prioridade número um”, acrescentou a empresa.

No primeiro semestre deste ano, a mina de Totten produziu 3.600 toneladas de níquel, segundo a Vale. A produção na mina está temporariamente suspensa e a companhia avalia medidas necessárias para retomada da produção. A mina foi aberta em 2014 e hoje emprega 200 funcionários. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.