Vale 'se impõe' como líder no setor de mineração, diz jornal

Para 'Le Monde', mineração vive 'boom' que aquece todo o resto da economia.

BBC Brasil, BBC

17 de outubro de 2007 | 07h55

A Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) "se impôs rapidamente" como líder de seu segmento no mercado brasileiro e agora alça seu vôo para o mercado internacional, avalia uma reportagem publicada na edição que circula esta manhã do jornal Le Monde.A reportagem, intitulada "Mineração brasileira em pleno boom", fala da expansão da Vale até se tornar um dos maiores players globais - jargão utilizado no linguajar econômico para se referir aos grandes atores econômicos."Onde vai parar a Vale do Rio Doce?", indaga o jornal. "Privatizada por uma quantia simbólica há dez anos, a empresa se impôs rapidamente como líder do setor de mineração no Brasil, antes de se revelar ao mundo inteiro comprando no ano passado a canadense Inco pela bagatela de US$ 18 bilhões."A operação, mostrou um relatório da ONU divulgado na terça-feira, elevou o nível de investimentos externos do Brasil ao recorde de todos os tempos - US$ 28 bilhões - e fez do país um investidor líquido pela primeira vez.O Monde destacou que a companhia deve investir no exterior um quarto do valor de seu plano de investimentos, que alcança US$ 58 bilhões nos próximos cinco anos.Além disso, afirma o jornal, a companhia continua tomando medidas para "elevar seu perfil internacional": deve adotar um nome mais palatável a investidores estrangeiros.A reportagem diz que o boom da mineração está aquecendo o resto da economia, através da elevação dos pedidos de bens de capital, como máquinas.Mas, alerta o diário, "esse dinamismo poderia provocar efeitos colaterais. A entrada de capitais externos, conjugada com uma taxa de juros reais, mantém o câmbio em um patamar elevado, perigoso para setores inteiros da indústria nacional".BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
chinavale do rio doceaçosiderúrgica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.