Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Vale supera Petrobrás em valor de mercado

Após as ações da mineradora registrarem valorização de mais de 1% no pregão de hoje, a companhia passou a valer R$ 247,884 bilhões

Luciana Collet, da Agência Estado,

22 de setembro de 2010 | 19h19

A Vale superou nesta quarta-feira, 22, a Petrobrás em valor de mercado. Após as ações da mineradora registrarem valorização de mais de 1% no pregão de hoje, a companhia passou a valer R$ 247,884 bilhões. Já a petrolífera brasileira, cujos papéis seguiram pressionados às vésperas da definição do preço da oferta de ações, passaram a ter valor de mercado de R$ 246,721 bilhões, conforme dados da Economática.

A mudança nas primeiras posições na lista das maiores empresas brasileiras ocorreu nesta quarta-feira após a alta de 1,57% nas ações PNA da Vale e de 1,80% nas ON. Os papéis PN da Petrobrás recuaram 1,40%, enquanto os ON baixaram 0,40%. Investidores vêm tentando derrubar o preço do papel da estatal de petróleo no mercado à vista como estratégia para pressionar por um valor mais baixo da ação na oferta, pois o valor da ação da Petrobrás na operação será determinado com base nas cotações de fechamento dos papéis na Bolsa amanhã, dia 23, e nos pedidos feitos durante o processo de coleta de intenções de investimento.

No mês passado, chegou-se a noticiar que a Vale teria superado a Petrobrás em valor de mercado, mas a conta levava em consideração o total de ações de emissão de cada empresa. A Economática, no entanto, utiliza em seu cálculo a definição de valor de mercado mais aceita internacionalmente, que inclui apenas a quantidade de ações "outstanding", ou seja a quantidade total menos a quantidade de ações em tesouraria.

Mesmo que a tendência dos papéis de ambas as companhias se mantenha, a liderança da Vale não deve passar de sexta-feira, uma vez que a partir da próxima segunda-feira passarão a circular no mercado as novas ações da Petrobrás. Com base nas cotações de hoje, a oferta pode totalizar R$ 132 bilhões, caso sejam subscritas todas as ações ofertadas, incluindo lotes adicional e suplementar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.