Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Vale tem lucro recorde de R$ 30,1 bi

A Vale registrou no ano passado o maior lucro líquido da história da indústria de mineração: R$ 30,1 bilhões, resultado que superou as expectativas mais otimistas do mercado. "Estamos vivendo nossos melhores dias", comemorou o presidente da companhia, Roger Agnelli, no comunicado enviado nos últimos minutos de ontem à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

IRANY TEREZA, Agencia Estado

25 de fevereiro de 2011 | 00h34

O recorde anterior havia sido batido em 2008, com lucro líquido de R$ 21,279 bilhões. Não fosse a crise deflagrada em setembro daquele ano, a Vale certamente teria tido um desempenho melhor, mas sem a certeza de ultrapassar a marca alcançada no ano passado.

O balanço foi marcado por recordes de receitas operacionais, lucro operacional, margem operacional, geração de caixa e lucro líquido. Não à toa, o comunicado recebeu o título de "Um ano de extraordinário desempenho".

Com o processo de recuperação dos mercados mundiais, depois do auge da crise no fim de 2008 e início de 2009, as vendas da Vale foram embaladas, durante todo o ano passado, por aumento de preço, especialmente do minério de ferro, e reativação da indústria. O resultado foi uma receita operacional de impressionantes R$ 85,3 bilhões, sendo que mais de 30% desse total (R$ 27 bilhões) no quarto trimestre. O faturamento do ano foi 71,3% superior ao registrado em 2009.

Recuperação. Bastante criticada pelas medidas tomadas logo no início da crise, no fim de 2008, como corte de pessoal e redução de investimentos, a empresa atribuiu a dois fatores o resultado de 2010. Um deles foi a recuperação mundial; o outro, justamente as iniciativas tomadas em resposta à recessão.

Tudo o que sabemos sobre:
ValelucromineraçãoRoger Agnelli

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.