carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Vale vai conceder férias coletivas a 563 funcionários no Rio

Trabalhadores nos portos Ilha de Guaíba e de Itaguaí vão parar suas atividades em duas etapas até março

Alberto Komatsu, de O Estado de S. Paulo,

17 de dezembro de 2008 | 16h16

A Vale vai conceder férias coletivas para 563 funcionários da empresa em dois portos. Deste total, 395 empregados são do Porto Ilha de Guaíba, de propriedade da mineradora, e 168 trabalhadores do Porto de Itaguaí, arrendado pela empresa. Os dois portos estão localizados no Rio.  Veja também:Desemprego, a terceira fase da crise financeira globalDe olho nos sintomas da crise econômica Dicionário da crise Lições de 29Como o mundo reage à crise   A informação é do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias de Prospecção, Pesquisa e Extração de Minério do Estado do Rio (Sindimina) e foi confirmada pela Vale. As férias coletivas serão concedidas em duas etapas: metade dos funcionários param suas atividades de 2 a 31 de janeiro. A outra metade vai parar de 1º de fevereiro a 2 de março.  Em entrevista ao Estado na semana passada, o presidente da Vale, Roger Agnelli, afirmou que sugeriu ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva nos últimos dias uma flexibilização das leis trabalhistas no País, como forma de combater os efeitos da crise financeira e evitar mais demissões.  A mineradora, a segunda maior do mundo, já anunciou a dispensa de 1,3 mil pessoas, e, especialistas e líderes em todo o mundo prevêem que a terceira fase da turbulência será, justamente, uma crise de desemprego.  Interlocutor privilegiado de Lula, Agnelli contou que também tem conversado com sindicatos a respeito dessa mudança nas leis. "Seria algo temporário, para ajudar a ganhar tempo enquanto essa fase difícil não passa", explicou. Entre as propostas, estão a suspensão de contrato de trabalho, redução da jornada com redução de salário, entre outros. "Sei que estamos propondo algo muito difícil. Mas é preciso entender que esta não é uma situação normal", continuou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.