Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Valente anuncia saída do Conselho da Anatel

O conselheiro Antônio Carlos Valente anunciou hoje sua saída da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), com antecedência de cinco meses do fim de seu mandato. Dono de um mandato de sete anos, iniciado em novembro de 1997, Valente alega que está deixando o cargo por razões pessoais, para dar mais atenção à sua família, e negou qualquer tipo de problema com a diretoria ou com a posição do governo sobre as agências reguladoras."A agência está em boas mãos e, certamente, se ela não estivesse, eu não estaria saindo", disse. Com a saída de Valente, o conselho da Anatel fica com duas vagas abertas, já que a do ex-presidente Luiz Guilherme Schymura ainda não foi preenchida.Especulações no mercado de telecomunicações apontam que o conselheiro poderia estar sendo contratado para comandar a holding da Teléfonos de México (Telmex) no Brasil, que controla a operadora de telefonia celular Claro e está adquirindo a Embratel. Valente nega e disse que ainda não recebeu nenhuma proposta de trabalho para quando concluir sua quarentena de 120 dias após a saída.Ele informou que encaminhou sua carta de desligamento na última terça-feira ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, por intermédio do ministro das Comunicações, Eunício Oliveira. Valente chegou a ocupar interinamente a presidência da Anatel durante alguns meses em 2002, depois da saída do ex-presidente da agência, Renato Guerreiro. Valente é último integrante da equipe do ex-ministro Sérgio Motta que ainda integrava um órgão federal do setor.O conselheiro disse também que, de forma nenhuma, sua saída esteja relacionada com o projeto de lei de iniciativa do governo que propõe a reestruturação das agências reguladoras, mas lamentou que poucos progressos tenham sido feitos, até agora, no País, em termos de inclusão digital.

Agencia Estado,

04 de junho de 2004 | 16h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.