Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Valia investirá mais em private equity

Com um patrimônio de R$ 15 bilhões, o fundo de pensão dos funcionários da Vale (Valia) quer ampliar sua atuação no mercado de private equity. A fundação tem R$ 600 milhões aplicados no segmento, mas a meta é atingir R$ 1,1 bilhão em 2012.

MÔNICA CIARELLI, Agencia Estado

28 de março de 2012 | 08h10

O presidente da Valia, Eustáquio Lott, afirma que os planos de diversificação incluem ainda a possibilidade do fundo ampliar sua fatia destinada à renda variável de 24% para até 30%. "Investimento em bolsa vai muito do momento, das oportunidades que surgem. Se aparecerem boas oportunidades a gente investe, como na crise de 2008", afirmou Lott, ao lembrar que a fundação na época comprou ações da BR Malls e aumentou sua fatia na Brasil Foods. Mas o presidente descarta que o objetivo do fundo no setor seja participar da gestão da companhia. "Não estamos falando de (bloco de) controle", afirmou.

Para garantir melhores retornos nesse cenário de queda dos juros, a Valia está de olho mesmo na compra de participações. Entre os setores-alvo da fundação estão infraestrutura, óleo e gás e energia. "Nós temos buscado investimentos alternativos. Estamos ampliando o crédito privado através de debêntures, CDB, mas, principalmente, fundos de private equity."

Se no ano passado, as fundações não conseguiram bater as metas, o cenário é mais otimista em 2012, na avaliação do presidente. Além de prever um melhor desempenho para as bolsas, ele conta que a Valia vem conseguindo alongar suas aplicações em títulos públicos, obtendo taxas de juros atraentes. A fundação terminou 2011 com um superávit de R$ 4 bilhões e rentabilidade de 10,6% nos investimentos. A meta era de 12,44%.

Tudo o que sabemos sobre:
Valefundo de pensão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.