Valor de empresas negociadas na Bolsa sobe 180% no governo Lula

O valor de mercado em dólar das companhias brasileiras negociadas no Índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Ibovespa) disparou 180% nos dois primeiros anos do governo Lula. Dados da Economática revelam que o total em 2004 alcançou a marca de US$ 337,5 bilhões, quase o triplo dos US$ 120,3 bilhões registrados no último dia de 2002.O destaque ficou por conta das siderúrgicas, com aumentos na casa dos 400% nos últimos dois anos. A Usiminas é um caso a parte. O valor de mercado da empresa pulou de US$ 399 milhões para US$ 4,4 bilhões. Nada menos do que uma alta de 1.016% no período.As ações com grande liquidez no pregão paulista, as chamadas "blue chips", também viram seu valor de mercado disparar. A Petrobrás, por exemplo, está avaliada atualmente em US$ 40 bilhões, bem acima dos US$ 14 bilhões apurados no final de 2002. Por conta da queda do dólar frente ao real no período, o incremento no valor de mercado das empresas nacionais levantado pela Economática é mais significativo quando contabilizado na moeda americana. Mas, analistas lembram que mesmo cotado em reais o porcentual de crescimento também é expressivo e ultrapassa a casa dos 100%.Motivos Os principais motivos que explicam o bom desempenho das companhias negociadas no pregão paulista foram: o fortalecimento da credibilidade internacional do País; a retomada do crescimento econômico; a expansão do lucro das empresas; os avanços políticos conquistados pelo governo Lula, como a aprovação da reforma da previdência e o início da discussão da reforma fiscal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.