REUTERS
REUTERS
Imagem Fábio Gallo
Colunista
Fábio Gallo
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Valor ou crescimento?

De janeiro até agora, ações de empresas de valor têm dado um retorno maior do que as de alta tecnologia

Fábio Gallo, O Estado de S.Paulo

17 de maio de 2021 | 04h00

O ano de 2020 foi marcado pelo alto desempenho das ações das empresas de alta tecnologia que superaram muito as ações de valor. Mas, no do ano de 2021 até agora a história está diferente, de janeiro até hoje, as ações de valor têm dado um retorno maior. O momento de mercado traz à tona uma discussão sempre presente no mundo dos investimentos. Investir em crescimento ou valor, qual o melhor? Embora possa ser julgada uma divisão arbitrária, acredito ser algo útil para o investidor conhecer e, assim, ajudar na definição de sua estratégia. 

Para facilitar o entendimento, podemos classificar o investidor de crescimento como aquele que busca uma ação que hoje vale R$100 e que daqui a alguns poucos anos deve valer R$200. Em outros termos, essa ação vai se valorizar rapidamente. Por outro lado, o investidor típico de valor é aquele que garimpa o mercado em busca de ações que hoje estão no mercado a R$100, mas deveriam valer R$200. Esses investidores estão atrás de ações subavaliadas, seguidores de investidores famosos como Warren Buffett, Charlie Munger e Ben Graham.

As empresas de valor apresentam crescimento lento, com dividendos mais frequentes e múltiplos de mercado baixos, como exemplo o índice Preço/Lucro (P/L). Para ações de empresas de rápido crescimento o múltiplo P/L fica na faixa de 50 a 100 vezes. No mercado internacional um índice observado para verificar o desempenho das ações de valor versus ações de crescimento é o Índice Russel 1000, que é operado pelo Financial Times Stock Exchange Group (FTSE). Esse índice representa as 1.000 principais empresas por capitalização de mercado nos EUA. No Russel 1000, as maiores empresas do subgrupo de empresas de crescimento são Apple, Microsoft, Amazon, Facebook, Tesla e Google. No subgrupo de empresas de valor temos Berkshire Hathaway, JP Morgan, Johnson & Johnson, Walt Disney, P&G, Exxon Mobil, General Electric. 

No acumulado de 2021, o Russel 1000 Crescimento teve valorização de 1,57%, ao passo que o Russel 1000 Valor acumulou alta de 14,86%. Em 2020 as ações de crescimento tiveram bom desempenho porque os investidores ficaram com medo do curto prazo, com a economia instável e apostaram no crescimento nos próximos anos.

Neste ano, a retomada da economia mundial está levando os investidores a acreditar nas empresas ligadas a setores cíclicos da economia, mais ligados as variáveis econômicas, assim, as empresas de valor ganham destaque. O fato é que o independentemente do estilo, o investidor busca comprar ações que se valorizem no futuro, assim as definições se tornam um tanto escorregadias. Evidências empíricas sugerem que ações de valor superam o desempenho ao longo do tempo. De toda forma devemos seguir os princípios fundamentais de investimento e a diversificação é uma das regras.

PROFESSOR DE FINANÇAS DA FGV-SP

Tudo o que sabemos sobre:
mercado financeirobolsa de valores

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.