Valor para concessão em BRs será revisado

Além de rever os estudos para os leilões das BRs 116 e 040, o governo retirou alguns trechos da proposta por serem caros

O Estado de S.Paulo

10 de agosto de 2013 | 02h04

O governo decidiu refazer os estudos econômicos que servem de base para as concessões das BRs 116 e 040, em Minas Gerais. A medida não deverá afetar o cronograma da licitação. A data prevista para publicação do edital continua sendo 1 de novembro e do leilão, 2 de dezembro.

O presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Bernardo Figueiredo, explicou que os estudos ficaram defasados porque a data inicialmente prevista para o leilão era janeiro de 2013. Os trabalhos ficarão a cargo da Estruturadora Brasileira de Projetos (EBP) e da QG Engenharia e Planejamento. A nova versão deverá ser apresentada até o dia 23 de setembro.

Entre os itens a serem atualizados estão os estudos de tráfego da BR-040 para avaliar o impacto da mudança na localização da praça de pedágio em Nova Lima e a compatibilização dos custos das concessões como investimentos realizados pelo Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (Dnit) nos últimos anos nas duas rodovias.

Às vésperas do início dos leilões de concessão de estradas federais, o governo faz os últimos ajustes. Na quarta-feira, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) mudou a composição do Lote 6, que originalmente tinha trechos de três rodovias: 163, 262 e 267.

O governo, porém, decidiu retirar os dois últimos porque avaliou que os investimentos a serem feitos ficariam muito elevados, encarecendo as tarifas. O Lote 6 passou a ser composto apenas pela BR 163. Os trechos que saíram do lote deverão ser incluídos no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e duplicados com recursos federais, com investimentos estimados de R$ 1,8 bilhão./ANNE WARTH, EDUARDO RODRIGUES, LU AIKO OTTA e LUCI RIBEIRO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.