Valorização do euro preocupa empresários europeus

Apesar de bem recebida pelos políticos europeus, a recente valorização do euro tem preocupado os empresários da União Européia, segundo a edição de hoje do diário francês Le Monde. De acordo com o jornal, a alta da moeda frente ao dólar - que foi de aproximadamente 18% em 2002 e deverá manter a tendência ao longo de 2003 - prejudicará as empresas européias, sobretudo aquelas ligadas à exportação. Em entrevista ao Monde, Valérie Chauvin, do Observatório Francês de Conjunturas Econômicas (OFCE), explica que os efeitos da valorização do euro se dão em duas etapas: "a curto prazo, o impacto é positivo, pois os preços dos produtos importados caem, contribuindo para a redução da inflação". Tal efeito seria benéfico se aplicado principalmente com relação ao petróleo, cujo preço é cotado em dólares no mercado internacional. "A longo prazo", continua Valérie, "os produtos [da Zona do Euro] tendem a perder competitividade, além de diminuírem as exportações, produzindo um impacto direto sobre o crescimento [da região]". Na França, juntamente com a guerra ao Iraque, a alta do euro é o principal fator de preocupação entre os empresários.Bruxelas registrou, no último trimestre de 2002, uma perda de competitividade da ordem de 1% na Zona do Euro em relação às outras economias industrializadas, afirma o jornal. Entretanto, de acordo com um estudo realizado pela Goldman Sachs, os efeitos de um euro valorizado (com estimativa de cotação de US$ 1,12) "ainda não são críticos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.