Valorização do real eleva lucro de empresas brasileiras

Empresas brasileiras que amargaram prejuízos bilionários no final do ano passado, quando a subida do dólar fez explodir suas dívidas em moeda estrangeira, estão vendo o jogo se inverter nos últimos meses. Com a valorização do real ante a moeda americana - de cerca de 15% no segundo trimestre deste ano -, elas voltaram a apresentar lucros maiores em seus balanços. Braskem, Aracruz, Usiminas, Votorantim Celulose e Papel (VCP), Klabin e Gol são algumas das companhias que mostraram bom desempenho graças ao efeito cambial.

AE, Agencia Estado

14 de agosto de 2009 | 09h54

Na petroquímica Braskem, por exemplo, o lucro líquido no segundo trimestre chegou a R$ 1,156 bilhão, em boa parte impulsionado pelo câmbio. Segundo analistas, as empresas estão recuperando parte do prejuízo sofrido no pior período da crise - em dezembro, o dólar chegou a R$ 2,50. ?Há uma descompressão dos resultados?, afirma o economista Fábio Silveira, da RC Consultores. A Braskem havia registrado perdas de R$ 2,14 bilhões no quarto trimestre de 2008.

A redução do endividamento, porém, foi apenas um alívio no resultado das empresas. Isso porque boa parte delas continua sofrendo com outros efeitos da crise, como a redução da demanda mundial. A própria desvalorização do dólar também teve seu lado negativo, na medida em que reduziu as receitas com as vendas externas. ?As empresas exportadoras estão passando por um momento difícil. O ganho financeiro com o câmbio foi apenas uma espécie de compensação?, afirma Silveira. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
câmbiodólarreal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.