?Vamos deixar o Copom trabalhar em paz?, diz Palocci

A dois dias da decisão do Conselho de Política Monetária do Banco Central sobre a taxa básica de juros da economia brasileira, a Selic ? que hoje está em 24,5% ao ano -, e em meio às previsões de analistas e pedidos de empresários por uma queda substancial, o ministro da Fazenda, Antônio Palocci, fez uma afirmação taxativa: "Vamos deixar o Copom trabalhar em paz." Ele disse isso à saída da Votorantim, em Jacareí, onde esteve na comitiva do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para participar da inauguração de uma fábrica de celulose da empresa. Era uma resposta a um repórter que fez a ele uma pergunta sobre a taxa de juros. Um pouco mais cedo, o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, havia feito declarações cautelosas sobre os juros, e voltado a insistir na tecla de que uma política gradual de queda das taxas não é falta de flexibilidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.