Reuters
Reuters

Vamos reforçar a cooperação financeira com o Brasil, afirma premiê da China

De acordo com Li Keqiang, a cooperação financeira desempenha um papel muito importante para estabilizar o mercado financeiro dos dois países e promover a ampliação do comércio bilateral

Ricardo Della Coletta, Rafael Moraes Moura, Victor Martins, Agência Estado

19 Maio 2015 | 14h36


O primeiro-ministro da China, Li Keqiang, disse nesta terça-feira que a cooperação financeira entre o Brasil e seu país será reforçada. De acordo com ele, isso vai aumentar a confiança das empresas chinesas que realizam negócios com o País.

"Encorajamos os bancos chineses a procurar correspondentes no Brasil para absorverem mais capitais e para servirem diretamente a iniciativas de cooperação entre as duas partes", declarou Keqiang, após cerimônia, no Palácio do Planalto, de assinatura de atos ao lado da presidente Dilma Rousseff. "A cooperação financeira desempenha um papel muito importante para estabilizar o mercado financeiro dos dois países e promover a ampliação do comércio bilateral e a utilização do mecanismos de troca de moeda", acrescentou.

Ele destacou ainda que essa cooperação vai ajudar a "salvaguardar a estabilidade do mercado financeiro dos (países) emergentes".

Mais conteúdo sobre:
chinaLi Keqiang

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.