Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

''''Vamos trabalhar duro para manter a inflação sob controle'''', diz Lula

Presidente quer evitar ''''superaquecimento'''', mas afirma que não vai tomar nenhuma atitude para frear a economia

Vera Rosa, O Estadao de S.Paulo

07 de setembro de 2012 | 00h00

Diante da expectativa de que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) vai anunciar hoje um resultado vigoroso para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre - as estimativas variam de 5% a 6,5% em relação ao mesmo período do ano passado -, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou ontem que vai trabalhar duro para não haver um ''''superaquecimento'''' da economia que possa provocar o retorno de índices mais altos de inflação.Ao lado do primeiro-ministro da Suécia, Fredrik Reinfeldt, Lula deu sinais de que é preciso evitar a explosão do consumo perto das festas de fim do ano. ''''Tudo que é superaquecido queima'''', brincou, provocando gargalhadas dos suecos. ''''Se você colocar pão no fogo, feijão no fogo ou até mesmo arroz, carne, e superaquecer, você estraga seu prato.''''Ele insistiu que deseja ver a economia crescendo com tranqüilidade, sem afrouxar o ajuste fiscal. ''''Eu digo sempre no Brasil: quem achar que vai voltar a ganhar dinheiro com a inflação vai quebrar a cara, porque o povo aprendeu que a inflação baixa é um patrimônio da sociedade que vive de salário.''''A resposta do presidente foi dada numa conferência de imprensa da qual participaram jornalistas brasileiros e suecos, depois da assinatura de acordo para o desenvolvimento dos biocombustíveis. Questionado se o governo preparava uma medida para evitar que um eventual superaquecimento da economia provocasse alta da inflação, Lula respondeu que vai trabalhar com afinco para que os preços não subam.''''Acho que o consumo está fortalecido, mas é importante lembrar que estamos perto do fim do ano e vamos trabalhar duro para manter a inflação sob controle.'''' Em seguida, disse que não tomará ''''nenhuma atitude'''' para frear a economia.''''Historicamente, no Brasil, quando a economia começava a crescer, aparecia alguém para colocar os dois pés em cima do crescimento e jogar um balde de água'''', disse, em crítica velada a governos anteriores. ''''Então, nem queremos superaquecer nem jogar água gelada.''''Na semana passada, Lula elogiou a decisão do Comitê de Política Monetário (Copom) de baixar a taxa básica de juros em 0,25 ponto porcentual, após dois cortes seguidos de 0,5 ponto. A diminuição do ritmo de queda foi interpretada por analistas como resultado da preocupação do Banco Central com os efeitos do forte crescimento da demanda interna. ''''Não vamos deixar a inflação voltar'''', afirmou. ''''Vamos acompanhar isso de perto.''''

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.