Vamos trabalhar para baixar juro do consignado, diz Lula

Em evento da Previdência, presidente afirma que está travando uma briga em defesa dos aposentados

Anne Warth, da Agência Estado,

27 de janeiro de 2009 | 17h31

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta terça-feira, 27, que considera os juros pagos atualmente pelos aposentados na concessão de empréstimos consignados muito elevados. Em cerimônia comemorativa dos 86 anos da Previdência Social, na capital paulista, Lula afirmou que está travando uma briga em defesa dos aposentados para reduzir a taxa de juros cobrada nessa modalidade de crédito.  Veja também:De olho nos sintomas da crise econômica Dicionário da crise Lições de 29Como o mundo reage à crise   "Acho que o juro que vocês estão pagando hoje no crédito consignado é alto para os padrões brasileiros. Ou seja, é alto e nós vamos trabalhar para que possamos reduzi-lo", afirmou para uma plateia de servidores da Previdência aposentados e da ativa, na agência da Vila Mariana. A sinalização de Lula vem no dia em que a expectativa de analistas do mercado financeiro mostrou-se pouco animadora em relação à continuidade de redução dos spreads cobrados no mercado de crédito. Na avaliação dos profissionais do setor financeiro, a deterioração do mercado de trabalho tende a acentuar a inadimplência - em dezembro, a taxa passou para 8,1%, a maior do governo Lula e idêntica à verificada em novembro de 2002.  O atraso no pagamento é, de acordo com os especialistas, o maior empecilho para a redução do spread. Mais até do que a expectativa de redução da taxa básica de juros, a Selic, que já teve início este mês e atualmente está em 12,75% ao ano. No caso do crédito consignado, este risco de inadimplência é praticamente inexistente.

Tudo o que sabemos sobre:
CréditoLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.