Varejo acumula inflação de 6,15% no 1º semestre

O Índice de Preços no Varejo (IPV), calculado mensalmente pela Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP), deve fechar o ano em aproximadamente 7%, segundo divulgou hoje a Federação. No primeiro semestre deste ano, o IPV acumula alta de 6,15%. De acordo com o assessor econômico da Fecomercio-SP, Antonio Carlos Borges, as maiores pressões de preços vieram de matérias-primas e commodities, como aço, derivados de petróleo, grãos e carnes.De acordo com os cálculos da equipe da Fecomercio-SP, a inflação do segundo semestre deve ficar em 1,2%, fechando o ano em 7,4%, já contando com o acumulado da primeira metade de 2005. O segmento que deverá chegar ao final do ano com o maior reajuste de preços será o de autopeças, na avaliação da Fecomercio-SP, com um incremente de 16,9%. "As montadoras, no entanto, não avalizam o aumento dos preços deste segmento, já que a projeção para veículos novos é de 3,8%, e o do comércio automotivo em geral, de 5,9% ao final do ano", disse.Outro destaque deve ser o setor de bens duráveis, com um aumento de 11,7% no ano, seguido pelo de semiduráveis (8,6%). Os veículos novos devem trazer uma inflação abaixo da média ao final do ano (3,8%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.