Varejo alonga prazo do crédito com cheque para 90 dias

A utilização do cheque pré-datado como instrumento para pagamento de créditos 90 dias após a dívida ter sido contraída cresceu 15,47% na média dos últimos sete meses, segundo levantamento realizado pela Telecheque. Esta é uma amostra de que comerciantes e consumidores estão acordando sobre a necessidade de se alongar o prazo de pagamento, mas sob a égide de um instrumento seguro e de fácil contestação no caso da ocorrência de inadimplência.No período entre janeiro e julho do ano passado, o mesmo estudo mostrava que a participação dos cheques emitidos para serem depositados três meses mais tarde representava 6,33% do total das operações comerciais com cheques no varejo. Já este ano, nos primeiros sete meses, a participação dos pré de 90 dias subiu para 7,30%.Há de se destacar que, no geral, o uso de cheques pré-datados como forma de concessão de crédito permaneceu estável, já que apresentou queda de apenas 0,04%, levando em conta a mesma base de comparação. 30, 60, 120 diasO estudo da Telecheque mostra ainda que o volume de cheques pré-datados para 60 dias apresentou pequeno aumento. Entre janeiro e julho de 2004 eles correspondiam a 21,48% do total das transações, passando para 21,51% entre janeiro e julho deste ano. O crescimento foi de 0,16%.Já as transações com cheques pré-datados para 120 dias apresentaram o maior aumento nominal, de 56,77%. No entanto, o estudo constatou que essa é a opção de crédito menos escolhida pelos consumidores. Entre janeiro e julho de 2004 representava 1,20% do total e passou para 1,89% nos sete primeiros meses deste ano.O volume de cheques pré-datados para 30 dias apresentou queda de 4,6%, embora ainda responda pela maior parte dos valores transacionados com cheques no varejo. Segundo a Telecheque, entre janeiro e julho de 2004 essa modalidade de crédito representava 38,66% do total financeiro movimentado com cheques, passando para 36,88% no mesmo período de 2005.

Agencia Estado,

17 de agosto de 2005 | 17h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.