Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Varejo brasileiro tem melhor ano desde 2001

As vendas do comérciovarejista brasileiro tiveram no ano passado a maior expansãodesde 2001, confirmando a força da demanda interna que vemsendo o motor do crescimento do país. O estímulo às compras veio do aumento do emprego e da rendado trabalhador, além da maior oferta de crédito e daestabilidade da economia, que gera confiança, segundoanalistas. O volume de vendas subiu 9,6 por cento em relação a 2006, amelhor leitura desde o início da série histórica, em 2001,informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística(IBGE) nesta segunda-feira. Em dezembro, as vendas ficaram estáveis na comparação comnovembro e saltaram 9,0 por cento frente a dezembro de 2006. Em 2007, as vendas de Hipermercados, supermercados,produtos alimentícios, bebidas e fumo avançaram 6,4 por cento,respondendo por um terço do crescimento do comércio no período. "Este desempenho refletiu as melhoras da renda e do empregoe a expansão do crédito", apontou o IBGE em nota. O setor de Móveis e eletrodomésticos teve o segundoprincipal impacto no resultado de 2007, com alta das vendas de15,4 por cento. Os setores de Tecidos, vestuário e calçados e de Livros,jornais, revistas e papelaria também tiveram o melhordesempenho da série histórica, com expansão de 10,7 e 7,1 porcento, respectivamente. No ano, as regiões com maiores taxas de crescimento nasvendas foram Alagoas, Maranhão, Mato Grosso do Sul, São Paulo eMato Grosso. RECEITA CRESCE O IBGE acrescentou que a receita nominal do comércioaumentou 14,1 por cento em 2007 sobre o ano anterior. Na comparação entre dezembro e novembro do ano passado, areceita cresceu 0,4 por cento. Frente a dezembro de 2006, aalta foi de 13,1 por cento. (Por Rodrigo Viga Gaier e Vanessa Stelzer)

REUTERS

18 de fevereiro de 2008 | 09h30

Tudo o que sabemos sobre:
IBGECOMERCIOATUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.