bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Varejo brasileiro vive 'década de ouro', diz Luiza Trajano

Dona da rede Magazine Luiza, empresária afirma que setor vive bom momento e destaca que não há bolha no varejo

Fernanda Guimarães, O Estado de S.Paulo

20 de março de 2014 | 02h06

A presidente da Magazine Luiza, Luiza Trajano, disse ontem que o varejo brasileiro vive "uma década de ouro". A executiva se referiu ao avanço do setor, que há cerca de dez anos apresenta taxas de crescimento bem acima do Produto Interno Bruto (PIB) do País. Do início dos anos 2000 a 2012, o volume médio das vendas no segmento foi de aproximadamente 8%, taxa que mais recentemente caiu para 4% - número ainda considerado muito expressivo.

Durante o evento "Fórum Brasil - Diálogos para o Futuro", em São Paulo, Luiza lembrou que o setor teve um bom mês de janeiro, assim como fevereiro, que não teve carnaval neste ano. O varejo cresceu, segundo o IBGE, 0,4% no primeiro mês do ano, frente à retração de 0,2% em dezembro de 2013.

A presidente da Magazine Luiza destacou a união das principais empresas do setor no Brasil. "Nós conseguimos nos unir não para discutir sobre o nosso quintal, mas sobre o varejo brasileiro", disse. "O Brasil tem mercado e todo mundo o quer. Não dá para dizer que há uma bolha."

Em janeiro, o embate entre a empresária e o jornalista Diogo Mainardi, do programa de TV Manhattan Connection, foi compartilhado milhares de vezes pelas redes sociais. Mainardi perguntou a Luiza, após criticar o desempenho do varejo e a inadimplência, quando ela venderia sua empresa para a Amazon. A executiva discordou do jornalista e prometeu enviar a ele um e-mail com dados que comprovavam a queda na inadimplência.

Também participou do evento de ontem, realizado pela revista Carta Capital, o presidente da Vale, Murilo Ferreira. Ele disse que o pessimismo que penaliza as ações da mineradora é um movimento exagerado. "Tem gente que aposta que a China irá acabar", disse. A China é o principal destino das exportações de minério de ferro da Vale./ COLABOROU NAYARA FRAGA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.