Estadão
Estadão

Varejo fecha primeiro trimestre com menor crescimento em 12 anos

Segundo dados da Serasa Experian, atividade varejista subiu 0,6% no primeiro trimestre; no mês de março, houve alta de 2,7%

ÁLVARO CAMPOS, O Estado de S. Paulo

07 de abril de 2015 | 10h13

O movimento dos consumidores nas lojas em março avançou 2,7% em relação a fevereiro, já efetuados os devidos ajustes sazonais, segundo pesquisa da Serasa Experian. Na comparação com o mesmo mês do ano passado, houve alta de 5,9%. Apesar deste resultado, a atividade varejista fechou o primeiro trimestre com crescimento anual de apenas 0,6%, o pior resultado dos últimos 12 anos.

Segundo os economistas da Serasa, o movimento dos consumidores no comércio em março foi favorecido pelo feriado do carnaval, que neste ano caiu em fevereiro. Porém, fatores como a alta da inflação durante o primeiro trimestre, o crediário cada vez mais caro e o baixo grau de confiança pesaram negativamente sobre o desempenho.

Em março ante fevereiro, a alta da atividade foi vista em todos os segmentos pesquisados. Os destaques foram combustíveis e lubrificantes (+3,6%) e supermercados, hipermercados, alimentos e bebidas (+3,6%). Na sequência aparecem material de construção (+2,7%), tecidos, vestuário, calçados e acessórios (+1,4%), móveis, eletroeletrônicos e informática (+1,6%) e veículos, motos e peças (+0,1%).

No acumulado do primeiro trimestre de 2015, três setores fecharam com crescimento e três com queda. A maior alta foi de vestuário (+6,8%) e a queda mais acentuada foi registrada em material de construção (-10,8%).

O indicador da Serasa sobre a atividade varejista é construído pelo volume de consultas mensais feitas por estabelecimentos comerciais à base de dados da companhia. As consultas nas formas de taxas de crescimentos são tratadas estatisticamente pelo método das médias aparadas com corte de 20% nas extremidades superiores e inferiores. A amostra é composta de quase 6 mil empresas.

Mais conteúdo sobre:
varejoSerasacomércio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.