Varejo paulista tem deflação de 1,01%

Os preços cobrados pelos varejistas da região metropolitana de São Paulo registraram queda de 1,01% em julho em relação a junho. A deflação foi motivada pela redução dos preços dos alimentos, de 0,92%, contra queda de 1,78% em junho. No ano, o índice registra alta de 9,30% e nos últimos 12 meses, 31,66%.O índice de julho foi o mais baixo registrada pelo Índice de Preços do Varejo (IPV), medido pela Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP), desde outubro de 1998, quando foi de ?1,02%. A principal redução de preços foi registrada pelos estabelecimentos que vendem vestuário, calçados e tecidos, que na média faturaram 3% menos, refletindo as liquidações de inverno. O grupo dos bens não-duráveis (alimentos, higiene, limpeza e remédios) recuou 0,60% e o comércio automotivo, -1%.Os únicos grupos com elevação de preços foram o de materiais de construção (3,64%), graças a novas linhas de financiamento de imóveis, e duráveis (0,39%), influenciado pelos móveis e decorações, que subiram 5,69%, estimulados pelo mercado externo. Já os eletroeletrônicos recuaram 1,51%.A deflação já era esperada pela Federação em decorrência da demanda contida, que desestimula repasses. A entidade avalia que nem os reajustes de tarifas públicas chegarão aos preços finais. Se ocorrerem, serão de forma diluída e apenas em setembro ou outubro, aposta a Fecomercio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.