Freeimages
Freeimages

Variação de preço no comércio eletrônico pode chegar a 250%, diz pesquisa

Em tempos de inflação elevada, consumidor pode economizar com pesquisa de valores na internet

Marianna Holanda e Lucas Massao, Especial para o Estado

14 de abril de 2016 | 05h00

Em tempos de inflação elevada, é cada mais vez importante o consumidor fazer pesquisas de preço antes da compra. Um levantamento feito pelo comparador Zoom mostra que, em março, valores de um mesmo produto no comércio eletrônico variaram até 251%.

De acordo com o estudo, a mercadoria com preços mais discrepantes foi a chuteira Society Nike Mercurial Victory Infantil, que variou de R$ 39,90 a R$ 139,90 (ou 251%). Em seguida, aparece o relógio feminino analógico Technos 2315H, com preço entre R$ 139,90 e R$ 424,15 (diferença de 203%), e camiseta polo do Vasco da Gama, cujos valores podem ter uma discrepância de 167%, ficando entre R$ 59,90 e R$ 159,90.

O diretor executivo do Zoom, Thiago Flores, explica que há muitas variáveis que contribuem para a grande diferença de preços nos produtos, como a alta do dólar, inflação ou se produto saiu de linha. 

"Com a baixa propensão de compra, economia em recessão e inflação, os lojistas fazem de tudo para incentivar o consumo e, se for o caso, queimar o estoque", diz Flores. O levantamento reúne dados de 2,5 milhões de produtos ofertados no site.

A disparidade entre valores também pode surgir por uma questão de estratégia de certas empresas. Para Felipe Coelho, gerente de marketing e mídia do site de comparação Já Cotei, o motivo das variações é a constante competição para baixar os preços e efetivar uma venda. "Cada loja elege alguns produtos e pode praticar preços mais agressivos com eles, tentando atrair mais consumidores para seu site", afirma.

O cofundador da Ebit e Relações Institucionais da Buscapé Company, Pedro Guasti, afirma que a variação de preços reflete a disputa das lojas virtuais pelo consumidor. "O e-commerce tem preços 10% menores do que no varejo offline devido ao dinamismo e à tecnologia do canal. Os sites podem trabalhar com parâmetros para adequar o seu preço conforme os valores praticados pela concorrência", explica Guasti.

E-commerce. Enquanto muito setores fecharam 2015 com dificuldades, o comércio de compras online continua a crescer, mas em ritmo menor do que o dos anos anteriores. De acordo com a última pesquisa Webshoppers, que levanta os dados do comércio eletrônico brasileiro e é feita pela E-bit/Buscapé, o setor faturou R$ 41,3 bilhões em 2015, alta de 15% em relação ao ano anterior. O ritmo de crescimento é menor que em 2014, quando avançou 24%. Para 2016, as empresas estimam um crescimento ainda menor, de até 8%.

ONDE COMPARAR PREÇOS 

Além do Zoom, há outros sites que comparam preços de produtos na internet. Confira abaixo alguns deles: 

Já Cotei

O Já Cotei permite que o usuário faça pesquisa por marca e modelo. Os preços exibidos já estão ajustados ao método de pagamento daquela oferta. O site possui um programa de pontos com as empresas Smiles e Multiplus. Ao comprar por meio da loja, o usuário ganha milhas aéreas em um desses dois serviços. Quanto maior for o valor da compra, uma quantidade maior de milhas é acumulada.

Buscapé

No mercado desde 1999, o agregador de preços está presente em mais de 15 países da América Latina, com 11 milhões de produtos no seu catálogo. Caso o usuário seja lesado em uma compra no valor de até R$ 5 mil, o Buscapé faz o reembolso. 

Bondfaro

Mesmo sendo parte do grupo Buscapé, e possuindo funcionalidades semelhantes, o Bondfaro dá destaque às avaliações feitas pelos compradores, que podem atribuir notas a diversos critérios, e ao histórico de mudança de preços dos produtos, colocando-o como uma das primeiras informações exibidas nas páginas. O site inclui somente os preços das 500 melhores lojas, levando em conta certificações de segurança e confiabilidade.

Catapreço

Movido pelo mesmo software de comparação do Buscapé, o Catapreço junta, de maneira simplificada, os preços e o nome da loja com aquele produto. A comparação mais refinada tem categorias específicas, permitindo uma diversidade maior na hora de comparar características dos produtos.

Skyscanner

Fundada em 2003, a empresa compara preços de serviços úteis para viajantes. Além das passagens aéreas e hotéis, o Skyscanner também conta com uma comparação de aluguéis de carro, com possibilidade de definir a data de entrega e retirada e o modelo do veículo.

Cliquefarma

Especializado em remédios e medicamentos, o Cliquefarma ajuda a filtrar o preço de produtos e, dependendo da drogaria, informa a disponibilidade e o valor do frete.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.