Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Variáveis americanas afetam mercados da Ásia

As bolsas do sudeste asiático iniciaram a semana sob forte influência da queda o índice de confiança dos consumidores americanos. A nova desvalorização do dólar frente a grande parte das moedas da região também abalou o mercado. O Nikkei 225 encerrou o dia em baixa de 0,86%, liderado por papéis de empresas exportadoras como Sony e Honda. O mercado filipino caiu 0,27%. Segundo analistas, a queda em Wall Street na sexta-feira (Dow Jones: -0,33%; Nasdaq: -1,39%) e a desvalorização em outras bolsas regionais estimularam a realização de lucros, mas o pregão de hoje registrou baixo volume financeiro. O índice Kospi, da bolsa sul-coreana, sofreu desvalorização de 0,19%, com a baixa em Nova York e a expectativa de resultados abaixo do esperado no terceiro trimestre. Taiwan caiu 0,12%, com o menor giro financeiro dos últimos quatro meses. A proposta do presidente Chen Shui-bian de revisar a constituição do país em 2006 deixou preocupados os investidores, já que a medida pode parecer para a China como um novo passo rumo à independência. Às 4h40 (horário de Brasília), as demais bolsas do sudeste asiático registravam: Hong Kong: -1,22%; Indonésia: -1,24%; Malásia: -0,51%; Tailândia: -0,18% e Cingapura: -0,16%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.