bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Varig antiga pode fazer mais de um vôo até o fim do ano, diz Bottini

O presidente da Varig, Marcelo Bottini, disse nesta terça-feira que a Varig antiga, que permanece em recuperação judicial para reduzir o passivo de R$ 7,9 bilhões da empresa, poderá fazer mais que um vôo até o fim deste ano. Pelo plano de recuperação judicial, a companhia só vai herdar da Varig a concessão de um vôo da Nordeste, Congonhas-Porto Seguro. "Ela (Varig antiga) não é limitada a fazer só essa rota. Ela pode fazer outras rotas, vai depender de aviões e tripulação disponíveis", afirmou o executivo, destacando que a operação da companhia pode começar daqui a dois meses.Questionado sobre quais rotas a empresa poderia pleitear, Bottini lembrou das concessões que a Nordeste já tinha, como vôos para Fernando de Noronha, na região nordeste de Salvador e a linha Rio-Salvador. Bottini também ressaltou que o número de funcionários que a Varig antiga vai herdar, estabelecido pelo plano de recuperação judicial em 50, refere-se ao pessoal de suporte. No total, incluindo os executivos, ele diz que deverão ser até 130 funcionários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.