Varig aprova o contrato de fusão com a TAM

O contrato de associação para a formação da empresa que reunirá a Varig e a TAM poderá ser assinado já na próxima semana. O Colégio Deliberante da Fundação Ruben Berta (FRB) aprovou neste sábado o contrato, o que permite a sua assinatura e o início do processo de criação da nova empresa aérea. Contudo, uma liminar deferida ontem à noite impede quaisquer iniciativas pela fusão. Antes da assinatura do contrato, ela deve ser derrubada pelos advogados da Varig. O presidente do Conselho de Curadores da Fundação, Ricardo Luiz Martins, disse que o contrato foi aprovado por 71% do Colégio, que reúne 220 membros. Segundo ele, a assinatura do contrato na próxima semana dependerá apenas da agenda do ministro da Defesa, José Viegas Filho. Após a assinatura, o processo inclui autorização do Departamento de Aviação Civil (DAC) e autoridades aéreas estrangeiras; definição de marca própria e da razão social da nova empresa e contratação de uma empresa de Recursos Humanos para definir um "ajuste" no quadro de funcionários. Martins disse que possíveis demissões na Varig ainda não estão definidas, mas admitiu que será necessário um ajuste no quadro de funcionários. O fato de ter devolvido 43 aviões sem fazer cortes de pessoal torna as demissões na Varig uma quase certeza.De qualquer modo, a decisão tomada pelo Colégio nesta tarde não terá efeito enquanto a Varig não conseguir derrubar a liminar concedida ontem à noite pela 4ª Vara Federal de Porto Alegre, que tornou sem efeito qualquer iniciativa relacionada à associação entre a Varig e a TAM. A liminar tem como base medida impetrada pela Associação de Pilotos da Varig (Apvar). Os advogados da Varig vão tentar derrubá-la na próxima segunda-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.