´Varig botou o pé na terra´ , diz Mares Guia

O ministro do Turismo, Walfrido Mares Guia, disse, nesta terça-feira, que "a Varig botou o pé na terra" ao comentar a implementação do processo de reestruturação da companhia aérea, que poderá demitir funcionários e está reduzindo o número de rotas aéreas. Desde o início da semana, a companhia aérea está em negociação com seus credores para facilitar o pagamento de dívidas correntes, além de discutir a necessidade de mais um corte de pessoal. As propostas de possível venda de parte da companhia para empresários estrangeiros foi vista com naturalidade pelo ministro. "Sendo respeitadas as regras da legislação, o fato de haver capital estrangeiro na empresa não importa desde que ela funcione e que todo o faturamento dela fique aqui", afirmou ele, ao comentar as notícias de que a ex-subsidiária VarigLog - vendida a um consórcio do qual faz parte o fundo americano Matlin Paterson - estaria disposta a comprar a parte operacional da companhia aérea. Projeto Executivos da VarigLog apresentaram para a diretoria e o conselho de administração da Varig, no início da tarde desta terça-feira, o projeto de compra por US$ 350 milhões da parte operacional da empresa. Por volta das 14h30, começou a reunião da VarigLog com um grupo de credores da empresa para apresentar a mesma proposta, na sede da Varig. A informação, não confirmada pela assessoria da VarigLog, é de que o executivo chinês Lap Chan, investidor do fundo americano Matlin Paterson, está na empresa aérea, apresentando a proposta de compra. Segundo a assessoria da VarigLog, o Matlin detém menos de 20% do capital votante da Volo Brasil, que controla a VarigLog. A Varig não comentou o assunto. Já a VarigLog havia informado, na última segunda-feira, que apenas nesta terça, depois das reuniões, falaria para a imprensa, o que ainda não foi confirmado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.