coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Varig cancelou mais da metade de seus vôos programados para hoje

Da meia-noite até às 13 horas desta quinta-feira já está em 118 o número de vôos cancelados pela Varig. O dado, divulgado nesta quinta-feira pela Infraero, aponta para 62% dos 189 vôos marcados para o dia. No mercado doméstico foram suspensos 95 trajetos de 157 programados. No internacional, essa relação está de 23 para 32.Dos vôos com destino ao Exterior, dois deles decolariam do Aeroporto de Galeão, no Rio de Janeiro, com destino a Buenos Aires e Montevidéu. Os outros três deveriam sair de Guarulhos, para Assunção, Nova York e Paris. Um outro sairia de Curitiba para Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia. Em nota distribuída ontem, a companhia garantia em âmbito internacional, as viagens para Frankfurt, Londres, Buenos Aires, Lima, Santa Cruz de La Sierra, Santiago do Chile e Caracas. Na malha doméstica estavam mantidos os destinos de Rio de Janeiro, nos aeroportos de Santos Dumont e Tom Jobim; São Paulo, em Congonhas e Guarulhos; incluindo também a ponte aérea, Salvador, Recife, Fortaleza, Belém, Manaus, Foz do Iguaçu, Curitiba, Porto Alegre, Fernando de Noronha, Florianópolis, Macapá e Brasília.A mesma nota anunciava a suspensão por tempo indeterminado dos seguintes trajetos: Milão, Munique, Madri, Paris, Nova York, Miami, Los Angeles, Cidade do México, Montevidéu, Assunção e Bogotá. Venda de passagens Mesmo com essa suspensão, passagens aéreas com saída do Aeroporto Internacional de Guarulhos para esses destinos podem ser compradas pelo no site ou pelo telefone de atendimento da Varig, após o vencimento desta suspensão. O fato é que não há nenhuma garantia de que, passado este prazo, que acabaria nesta sexta-feira, os vôos serão retomados. Um atendente da companhia disse à reportagem do Portal Estadão que os vôos são garantidos, e que, havendo qualquer tipo de problema nas decolagens, a Varig encaminhará seus passageiros à outra empresa.Na sexta-feira, mesma data em que os vôos seria retomados, os Trabalhadores do Grupo Varig (TGV) deverão depositar US$ 75 milhões para que a oferta pela compra da companhia seja de fato efetivada. Na segunda-feira, a Justiça homologou a proposta do TGV, mas determinou um prazo para que a primeira parcela do pagamento fosse efetuada. Caso isso não ocorra, não está descartada a realização de um outro leilão.

Agencia Estado,

22 de junho de 2006 | 14h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.