Varig desmente acordo e ações caem

As ações da Varig apresentaram queda de 6,96% nesta quarta-feira, depois que a companhia desmentiu, em esclarecimento à Bovespa, a existência de qualquer acordo para obtenção de ajuda financeira da Boeing ou da GE, ou para transferência de ações da companhia."No momento não existe qualquer entendimento ou negociação que possa determinar injeção de recursos por parte daquelas empresas", diz o comunicado.Notícias publicadas nesta semana chegaram a especular sobre um acordo para o ingresso de até US$ 1 bilhão na Varig, por parte das duas multinacionais.O resultado foi a valorização superior a 30% das ações da companhia nesta terça-feira. O próprio presidente da Varig, Ozires Silva, havia afirmado que a empresa estava negociando meios de sanear suas contas."É uma matéria falsa. Nós definitivamente não planejamos investir nem agora, nem no futuro", disse à Reuters o porta-voz da Boeing, Mike Tull.Até agora, o que a Varig efetuou, com a fabricante, foi uma operação de venda e posterior aluguel de aviões, com a redução, apenas para efeito contábil, de US$ 1,2 bilhão para US$ 830 milhões no seu endividamento.Uma cláusula abriu a possibilidade de futura venda de ações à Boeing, o que bastou para impulsionar as ações da empresa, que acumulam alta de 94,55% nos últimos 30 dias.Conforme o Estado informou nesta terça-feira, no dia 15 a Varig deve decidir pelo aumento de capital da recém-criada Varig Engenharia e Manutenção.Segundo um especialista do mercado, a estratégia de transferência de ativos da Varig para a VEM pode representar um novo ganho contábil, pois os bens em questão - inclusive hangares - serão reavaliados antes da operação.Além disso, a participação na VEM pode interessar à GE, que já atua no ramo de manutenção de aeronaves no País, por meio da empresa Celma.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.