Varig deve dar prioridade aos vôos da Copa

Os vôos da Varig para a Alemanha têm prioridade absoluta por causa da Copa do Mundo e não correm risco de cancelamento iminente, dizem fontes da empresa em Frankfurt, na Alemanha. Segundo fontes da empresa em Frankfurt, os vôos para a Alemanha têm prioridade absoluta por causa da Copa e ?serão os últimos a serem afetados por cancelamentos?. Além disso, Frankfurt é a base da empresa com o maior faturamento no exterior.Funcionários da Varig na central alemã da empresa admitem que, em caso de cancelamentos, seria muito difícil acomodar os passageiros em vôos de outras companhias.Isso inclui também os membros da Star Alliance, a aliança de companhias aéreas da qual a Varig participa. Os vôos para o Brasil da Lufthansa, por exemplo, estão lotados.Sem planos Um alto funcionário da Varig na Alemanha estima que de 12 mil a 15 mil turistas brasileiros estejam atualmente no país, a maioria deles para a Copa.Os vôos da Varig de Frankfurt e Munique partem pontualmente, e a situação nos dois aeroportos está tranqüila. Segundo a empresa, há poucos passageiros ligando para saber se as rotas estão ameaçadas de cancelamento.Apesar da crise, a embaixada brasileira em Berlim desmentiu a existência de um plano de emergência para ajudar passageiros da Varig que venham a ser prejudicados pelo cancelamento de vôos.?Nós estamos acompanhando os acontecimentos, mas até agora não recebemos nenhuma instrução específica?, disse um funcionário que não quis ser identificado.A embaixada ainda não tem informações sobre o número de passageiros que poderiam precisar de assistência. ?Isso só será definido quando, e se, os vôos forem cancelados?, disse um diplomata.Segundo a assessorial de imprensa do Itamaraty, as embaixadas foram instruídas para ficarem preparadas para a eventualidade de uma crise maior, mas nenhum plano específico foi traçado. A Varig está à procura de um investidor que ajude a empresa a sair da pior crise financeira de sua história. A companhia aérea já suspendeu cerca de 70 vôos desde sábado passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.