Varig deve divulgar lista de demitidos na sexta

A Varig deve anunciar na sexta-feira a lista com a demissão de todos os cerca de 10.000 funcionários. De imediato, em torno de 1.700 pessoas serão recontratadas na nova empresa, que agora é controlada pela VarigLog. Apenas 50 empregados serão reaproveitados na chamada Varig antiga, que permanece em recuperação judicial, com pesado endividamento. O custo estimado das rescisões trabalhistas é de R$ 170 milhões.Impacientes com a indefinição sobre o seu futuro, funcionários da Varig nos aeroportos de São Paulo, Porto Alegre e Curitiba fixaram prazo até às 17 horas de sexta-feira para que a companhia esclareça sua situação e pague os salários, que caminham para o quarto mês de atraso. Caso contrário, uma assembléia poderá indicar greve por tempo indeterminado. "O que está acontecendo é que está demorando muito para definir a contratação dos funcionários da nova Varig", afirma o presidente da Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil (Fentac), Celso Klafke.Na quarta-feira, o sindicalista relata que funcionários da Varig em Congonhas, Porto Alegre e Curitiba realizaram reuniões e paralisações "espontâneas". No Aeroporto Internacional de Guarulhos, houve um movimento mais "organizado", incluindo a assembléia que definiu o prazo para a Varig pagar os salários. Hoje, quando Klafke monitorava o movimento dos empregados nos três Estados, o sindicalista relata que não foram realizadas novas paradas.O plano de pagamento da dívida dos trabalhadores, baseado na utilização de títulos de dívida (debêntures), ainda causa preocupação. Isso porque não só funcionários, mas também outros credores, desconfiam se a Varig antiga terá fluxo de caixa suficiente para abater o passivo de R$ 7,9 bilhões que herdará. Só de dívidas contraídas antes da recuperação judicial, são R$ 210 milhões para os empregados.Próximas etapasUma nova etapa da Varig antiga deverá acontecer no próximo dia 16. Segundo a fonte da Varig, neste dia deverá ser realizada uma assembléia de credores para definir a escolha do novo presidente da companhia, que deverá ser conhecida apenas como Nordeste, já que não poderá usar a bandeira Varig, de uso exclusivo da VarigLog. A Deloitte, administradora judicial da Varig antiga, não confirmou a data, mas informou que o assunto está sendo discutido.Nessa assembléia, também será deliberada a criação de uma Sociedade de Propósito Específico (SPE), que na prática servirá para abrigar o dinheiro esperado de ações judiciais, como as que cobram indenização pelo congelamento de tarifas entre as décadas de 80 e 90, cerca de R$ 4,5 bilhões, para amortizar dívidas. Um agente fiduciário também deverá ser escolhido para administrar as emissões de debêntures que reduzirão os débitos com credores. VôosNo segundo dia da nova malha de vôos da Varig, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou que "a situação começa a se normalizar no País". Segundo a agência, diminuíram as reclamações nos aeroportos que contam com atendimento da Varig. A Anac também comunicou que os passageiros que tentam retornar para Belém deveriam embarcar ainda ontem.No mercado internacional, os passageiros que compraram passagens antes dos cancelamentos, informa a agência, ainda enfrentam dificuldades para voltar por causa da alta temporada. A Anac divulgou, ainda, que tem atendido essas pessoas e "garantido sua volta ao País no menor prazo possível". Como alternativas para os estrangeiros, a agência acrescenta que foram realizados um vôo para Santiago, na manhã de ontem, e outro para Caracas também estava previsto a partir do Aeroporto Internacional de Guarulhos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.