bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Varig devolve sete Boeings da frota

A Varig deverá retirar sete jatos da frota, em mais uma etapa do processo de reestruturação e enxugamento de custos. A decisão foi tomada na semana passada e, com ela, a frota da empresa, hoje composta de 84 aviões, vai encolher em 6%. Apesar disso, a empresa informa que a redução na oferta de vôos será de 2%, já que o uso da frota remanescente vai ser remanejado.O vice-presidente de marketing e vendas da Varig, Roberto Macedo, negou, nesta segunda-feira à noite, que a devolução dos sete aviões da frota, que pertencem à GE Capital Aviation Services (Gecas), tenha decorrido de uma decisão da empresa norte-americana de leasing em retomar os aviões. Durante à tarde, circularam rumores no mercado dando conta dessa versão.Os aviões que serão retirados da frota serão cinco Boeings 737-700, mais modernos e com valor de arrendamento mais elevado, e dois 737-300, basicamente usados nos vôos domésticos. "Entre novembro e dezembro, montamos um plano de reestruturação da frota que previa diversos cenários, conforme a evolução da demanda. Hoje, há um flagrante excesso de oferta no mercado doméstico e, quanto mais excesso de oferta, será maior a batalha de preço", disse o vice-presidente.Segundo Macedo, a empresa quer "otimizar o uso dos aviões e ter uma oferta mais ajustada à demanda", na tentativa de dar rentabilidade à atividade. No fim do ano passado, em meio ao processo de renegociação com todos os fornecedores, a empresa brasileira havia fechado um novo acordo com a Gecas, no qual foram discutidos a quantidade de jatos da frota, os prazos de financiamento e os valores dos aluguéis dos jatos. Na época, a Varig informou que havia conseguido renegociar os contratos em condições mais favoráveis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.