Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Varig e Vasp terão concessão renovada

O ministro da Defesa, José Viegas, informou hoje, por meio de nota distribuída por sua assessoria, que no dia 10 de outubro o Ministério da Defesa irá prorrogar mais uma vez o prazo para a assinatura dos contratos de concessão da Varig e da Vasp. A renovação definitiva, que permite à empresa voar por 15 anos, está pendente desde outubro de 2003, quando se encerrou o contrato assinado em 1988. A questão é que a legislação não permite que uma empresa com dívidas com a Previdência Social tenha sua concessão pública renovada.Para manter a Varig e a Vasp em operação, a estratégia do governo tem sido prorrogar o prazo para assinatura do contrato. As datas limites para firmar essas concessões têm sido postergadas por seis meses. Em abril passado o prazo foi estendido novamente até outubro. Dessa vez, porém, segundo a assessoria de Viegas, a prorrogação do prazo de assinatura do contrato não terá uma data definida.A nota do ministério foi divulgado na semana em que surgiram boatos no mercado financeiro de que a concessão da Varig, empresa que está em meio a uma séria crise financeira, não seria renovada. Em entrevista hoje, no Rio Grande do Sul, o ministro afirmou: "Nós vamos fazer o que for preciso e o que for necessário fazer para que a Varig siga operando, para que a aviação brasileira continue tendo uma operação internacional que nos rende US$ 1 bilhão de divisas e para que os empregos da Varig sejam mantidos no nível mais alto possível, compatível com a boa administração dessa empresa e das empresas aéreas em geral." Viegas reafirmou que o governo "não vai dar dinheiro, doar dinheiro a fundo perdido" para as companhias aéreas. "Mas o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) certamente está em condições de dar um apoio à operação do setor civil, da Varig, em particular, e em bases comerciais, e assim o fará".O governador gaúcho, Germano Rigotto (PMDB), estará amanhã em Brasília para uma audiência com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e Viegas, para discutir alternativas para a Varig. "O governo federal está procurando alternativas para a Varig e o presidente quer me ouvir sobre a questão, junto com o ministro Viegas", disse Rigotto.

Agencia Estado,

16 de setembro de 2004 | 18h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.