Varig fecha primeiros nove meses com prejuízo menor que em 2003

A Varig fechou os primeiros nove meses do ano com prejuízo líquido de R$ 305,048 milhões, 43% abaixo do resultado negativo de R$ 533,462 milhões do mesmo período no ano passado. A performance negativa no ano foi amenizada pelo lucro líquido de R$ 261,772 milhões entre julho e setembro. O patrimônio líquido permanece negativo em R$ 6,661 bilhões - no período em 2003 era de R$ 6,356 bilhões.O diretor de controladoria e de relações com investidores da Varig, Ricardo Bullara, explica que a empresa realizou ajustes contábeis que geraram impacto positivo de R$ 183 milhões: um recálculo do programa de fidelidade e a recuperação de créditos de tributos. Além disso, a demanda da empresa no setor internacional cresceu 9,8% e no doméstico, 13,2%. Nos primeiros nove meses do ano, a receita líquida da Varig cresceu 8,8% e chegou a R$ 6,238 bilhões.Este crescimento e a melhoria da operação não foram suficientes, contudo, para reverter o prejuízo acumulado este ano. "A empresa carrega todo o serviço da dívida. Enquanto não houver uma solução com relação à dívida do governo ou uma capitalização continuaremos carregando isso no balanço", comentou o diretor de controladoria.Segundo Bulara, a dívida total da Varig é da ordem de US$ 1,8 bilhão. O executivo conta que para aderir ao Parcelamento Especial (conhecido como Refis II), no ano passado, a empresa teve de reconhecer uma série de contingências. Na prática, a empresa vem enfrentando crise financeira nos últimos anos. Desde este mês, a Varig vem pagando diariamente ao redor de R$ 1,1 milhão à Infraero. Bullara comenta que a empresa está conseguindo pagar os valores de tarifas aeroportuárias diariamente à estatal. "Estamos aí remando. Estamos conseguindo sobreviver na operação", afirmou. Enquanto isso, na parte operacional, indica o executivo, os resultados permanecem positivos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.